Os "gigantes" clubes do Rio de Janeiro e a Rádio Nacional(KHz 1130 Am)

Nos últimos meses de 2009, estou vendo o re-erguimento dos clubes cariocas como a volta do Vasco da Gama para a elite da série A no ano de 2010. A chance bastante positiva do Flamengo, conquistando talvez o hexa-campeonato brasileiro. O Fluminense, fazendo a sua parte para escapar da série B do campeonato Brasileiro no ano que vem e com GRANDES possibilidades de conquistar um título internacional, na Sul Americana, contra o "algoz" LDU(o Flu fôra derrotado nos pênaltes no ano passado, quando a enfrentou, pela final da Libertadores da América). E por fim, a volta do América à Elite do campeonato estadual, quem sabe assim, desperte um sentimento na diretoria rubra, um discernimento da volta do "gigante" e não com um sentimento diminuto, como ocorre com a diretoria do "meu" Bangu.

Achismos à parte, num passado-presente, com mais de 50 anos de existência, TODOS OS TIMES DO RIO DE JANEIRO, eram conhecidos e são conhecidos. Muitas pessoas do Norte/Nordeste/Centro-Oeste, torciam/torcem para Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense, América, Bangu, Bonsucesso, Olaria ,São Cristóvão e Campo Grande, graças à Rádio Nacional(KHz 1130 am).

Com mais de 73 anos de existência, a emissora da Praça Mauá, tem um "peso" importantíssimo para o desenvolvimento da paixão clubística pelos times cariocas nos rincões mais distantes do Brasil. Bem antes da chegada da internet, graças aos satélites, uma pessoa do interior do Amapá, sintonizava pelas ondas curtas e médias, às transmissões esportivas, locutadas por Antônio Cordeiro(nome da cabine número 13 da emissora no Maracanã), Jorge Curi e Gagliano Neto(transmitira o primeiro FlaxFlu, um dia após a estréia da emissora, em 13 de setembro de 1936), na antiga PRE-8.



*Gagliano Netto foi o primeiro locutor a transmitir pela Rádio Nacional, um Fla x Flu,
um dia após a estréia da emissora da Praça Mauá em 13 de setembro de 1936.

O escritor capixaba, mas com alma carioca, Rubem Braga, dizia que, milhares de "tupiniquins", sintonizavam nas "ondas da Nacional", por meio de suas rádio-novelas, programas de auditório, musicais, noticiários e o esporte, a falar a linguagem da Rádio Nacional.



Graças ao programa mais antigo do rádio brasileiro, o No Mundo da Bola, apresentado atualmente às 23:30 horas, pelo radialista Carlos Borges, reforçou ainda mais o sentimento futebolístico carioca pelo povo brasileiro, como um concurso promovido no anos 40, pelo analgésico Melhoral("paitrocínio" do programa).O concurso pediu para que o ouvinte escolhesse o melhor jogador de futebol da época. O ganhador foi o Ademir Menezes, o popular "Queixada", do Vasco da Gama, recebendo portanto, um montante de 5.304.935 votos. Um recorde para os padrões da época. E esta "marca" que JAMAIS pode ser esquecida, se chama RÁDIO NACIONAL DO RIO DE JANEIRO(KHz 113o am).

Um abraço,

Isabela Guedes.
blogdoradiocarioca@yahoo.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista com o locutor Sérgio Moraes- "Dos Pampas aos Seringais"

Humor no Rádio Esportivo Carioca- Uma deliciosa crônica do GRANDE Roberto Porto