O Rádio Esportivo e Seus "Recortes" Primordiais à Serviço do Povo

O rádio esportivo foi o grande "divisor de águas", no que diz os diversos enriquecimentos tecnológicos e de linguagem ao longo das décadas, nas forma e conteúdo da narração esportiva criada por Nicolau Tuma, em 1931.

O aperfeiçoamento da linguagem é um dos exemplos. Nos primórdios, o noticiário radiofônico era feito à base de recortes de jornais, lidos na íntegra pelo locutor.

Como não havia redatores muitas vezes ía ao ar uma noticia sem revisão do texo, exemplarmente ditopelo radialista Mauro de Felice,nolivro da jornalista Edileuza Soares, em A Bola no Ar- O Rádio Esportivo em São Paulo- "Londres- Urgente- Mais uma incursão de Luft Waffe sobre Londres- Continua na página ..."". Mesmo quando não havia falhas como essa, entretanto, o radio jornalismo com texto da mídia impressa pecava por ignorar que a linguagem radiofônica tem regras próprias, em que destacam-se a simplicidade, frases sem "rodeios", enxutas e corretas, com exatidão sem temer a repetição, reforçando assim, a comunicação oral.

O rádio esportivo, que até 1931 praticamente sobrevevia às custas da mídia impressa, antecipou-se na criação de uma linguagem mais leve, espontânea, dinâmica e vibrante. A explicação não tem mistério: A primeira transmissão de futebol, lance por lance pela "latinha", por Nicolau Tuma, foi improvisado, ele não estava "amarrado" ao texto. A sua maior preocupação era descrever para o ouvinte o que estava se passando à sua frente, uma "jogada" fidedigna e umalinguagem simplória para que o "povão" compreendesse o que estava sendo "irradiado".  

Um abraço,

Isabela Guedes
blogdoradiocarioca@yahoo.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista com o locutor Sérgio Moraes- "Dos Pampas aos Seringais"

Humor no Rádio Esportivo Carioca- Uma deliciosa crônica do GRANDE Roberto Porto